Grupo do Blog

quarta-feira, fevereiro 05, 2014

Wallyson despacha o Desportivo Quito.

Reserva faz 3 gols, Botafogo vence e avança à fase de grupo da Libertadores

O Botafogo fez o seu papel nesta quarta-feira e venceu o Deportivo Quito por 4 a 0, no Maracanã. Com o resultado, o Alvinegro elimina o rival e avança à fase de grupos da Libertadores, já que na primeira partida, no Equador, havia sido derrotado por 1 a 0. Os 50.638 torcedores presentes representam um recorde para o clube de General Severiano no novo estádio – antes era 34.354, contra o Criciúma. Wallyson foi o grande nome da partida. Herói improvável, o atacante, que virou titular neste duelo, marcou três gols. Henrique completou o placar.

Do UOL


Agora, o Botafogo faz parte do grupo 2 da Libertadores, ao lado de San Lorenzo-ARG e Unión Española-CHI e Independiente del Valle-EQU. O Alvinegro já faz sua primeira partida da próxima fase nesta terça-feira, contra os argentinos, ás 20h, no Maracanã.

Tomado pelo clima de decisão no Maracanã, os jogadores do Botafogo entraram em campo com muita vontade. Em desvantagem, o time buscou o primeiro gol desde os primeiros toques na bola. E quase que Lodeiro abre o placar logo aos 2min. O uruguaio cabeceou, mas acertou a rede pelo lado de fora.

Com o passar do tempo, o Deportivo Quito acertou a marcação e o Botafogo passou a usar a jogada aérea como principal arma. E a tática parou na trave, literalmente. Aos 17 min, Edílson cobrou escanteio e a certou a baliza direita de Ramirez, que apenas olhou.

Disposto a apenas marcar, o Deportivo Quito sequer ameaçou o gol de Jefferson. Por outro lado, os equatorianos impediam o Botafogo de trocar passes no meio de campo. Assim, o jogo ficou sem muitas alternativas, com o Alvinegro abusando das bolas aéreas.

E foi em uma delas que o Botafogo abriu o placar aos 37min. Edílson cruzou da direita, Jorge Wagner escorou e Wallyson, de primeira, fuzilou o goleiro do Deportivo Quito: 1 a 0. Mesmo com o resultado parcial levando a classificação para a disputa de pênaltis, a torcida explodiu no Maracanã por ver a vaga mais perto.

No segundo o tempo, ambos os times eram mais coração do que técnica. Com chutões para tudo que era lado, o Botafogo não repetia a boa atuação da etapa inicial e ficava nervoso a cada minuto. A torcida entrou na onda e passou a cobrar a arbitragem em casa decisão contrária aos donos da casa.

Tanque Ferryra não fazia boa partida e passou a ser perseguido por parte da torcida. O técnico Eduardo Hungaro percebeu e decidiu dar oportunidade a Elias. E no primeiro toque na bola, o atacante deixou Lodeiro em boas condições. O uruguaio acionou Wallyson, que decidiu: fez seu segundo gol na partida e que garantia o Botafogo na fase de grupos da Libertadores.

Com dois gols de vantagem no placar, o Botafogo diominuiu o ritmo, enquanto o Deportivo Quito decidiu atacar e colocar água no chope dos donos da casa. E os visitantes cresceram na partida de passaram a criar perigo para o gol de Jefferson pela primeira vez na partida. Mas a estrela de Wallyson voltou a brilhar.

Com mais uma assistência de Elias, Wallyson ficou cara a cara com com Ramirez e fez seu terceiro gol na partida e praticamente definiu a vaga. Logo em seguida, o atacante deu lugar a Henrique e foi ovacionado pelos torcedores. Mais solto em campo, o Botafogo passou a tocar bola no campo adversário, com direito a "olé".

Quando a partida já estava decidida, Henrique deu números finais à partida. Festa da torcida do Botafogo, que lotou ao Maracanã em dia de homenagens a Nilton Santos.

BOTAFOGO 4 x 0 DEPORTIVO QUITO-EQU

Data: 29/01/2014 (quarta-feira)
Local: Estádio Jornalista Mário Filho (Maracanã), no Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Silvio Trucco (ARG)
Auxiliares: Hernan Maidana e Juan Belatti (ARG)
Renda: R$ 2.197.300,00
Público: 45.154 pagantes / 50.638 presentes
Cartões amarelos: Walter Calderón, Estupiñian, Romero (DEP). Edílson, Marcelo Mattos (BOT)
Gols: Wallyson, aos 37min do primeiro tempo, e 22min e 34min, e Henrique, aos 45min do segundo tempo.

BOTAFOGO
Jefferson; Edílson, Bolívar, Dória e Julio Cesar; Marcelo Mattos, Gabriel, Lodeiro, Jorge Wagner (Rodrigo Souto) e Wallyson (Henrique); Tanque Ferreyra (Elias)
Técnico: Eduardo Hungaro

DEPORTIVO QUITO
Rolando Ramírez; Víctor Chinga, Gregory Gonzalez, Luis Romero e Édder Fuertes; Santiago Morales, Carlos Feraud, Edison Vega e Olivo (Miguel Bravo); Víctor Estupiñán e Jonathan Hansen
Técnico: Juan Carlo Garay

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja bem vindo
que você achou?
Meta o dedo
Deixe seu comentário

Flash