Postagem em destaque

Barco com passageiros naufrága no rio Xingu no pará sete mortes já foram confirmadas

Vinte e cinco pessoas foram resgatadas com vida e sete mortes já foram confirmadas em naufrágio no rio Xingu, sudoeste do Pará. Uma embarc...

pague seguro

Logotipos de meios de pagamento do PagSeguro

Grupo do Blog

sexta-feira, junho 28, 2013

Mandela entre a vida e a morte

O Prêmio Nobel da Paz Mandela chega ao sexto dia em estado crítico e África do Sul espera notícias

EFE

O ex-presidente sul-africano Nelson Mandela chega nesta sexta-feira ao sexto dia hospitalizado em estado crítico e a população da África do Sul, que receberá hoje a visita do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, espera por notícias sobre o seu estado de saúde.

Na última informação oficial, o presidente da África do Sul, Jacob Zuma, anunciou ontem que Mandela se encontrava estável após experimentar uma leve melhora, mas seu estado continuava "crítico".

Pouco antes, a filha mais velha do ex-presidente, Makaziwe Mandela, tinha afirmado em entrevista à rádio pública que seu pai estava em uma situação "muito crítica".

Segundo Makaziwe Mandela, o ícone da luta contra o regime racista do "apartheid" "não tem bom aspecto" e "pode ocorrer qualquer coisa de forma iminente".

Enquanto isso, a África do Sul se prepara para receber hoje o presidente Obama, que começará amanhã os atos oficiais de sua visita de dois dias.

O primeiro presidente negro da América, que chegará procedente do Senegal e encerra sua viagem africana no dia 2 de julho na Tanzânia, não visitará em princípio o primeiro presidente negro da África do Sul, conforme anunciou o governo sul-africano.

Dezenas de sul-africanos se reuniram hoje nas portas do hospital de Pretória onde Madiba (como Mandela é conhecido no país) está internado desde o dia 8 de junho por uma recaída de uma infecção pulmonar.

Um grupo de crianças foi até as portas do centro para cantar em coro uma canção com o lema: "Nós te amamos Mandela".

"Ele (Mandela) é um dos meus heróis pessoais, um herói para o mundo. Seu legado durará séculos", disse Obama ontem no Senegal. O presidente americano vai homenagear seu "herói" no domingo na Cidade do Cabo com uma visita à Ilha de Robben, na qual Madiba esteve preso por 18 anos.

O muro e a cerca externa da clínica onde Mandela está internado se transformaram em um colorido mural de flores e cartazes que desejam o melhor para Madiba e agradecem o seu sacrifício pela dignidade de todos os sul-africanos sem distinção de raça.

A poucos metros do hospital, o Congresso Nacional Africano (CNA) celebrou ontem à noite uma vigília em homenagem ao antigo estadista.

A oração coletiva nacional também aconteceu em outro dos centros nevrálgicos, a casa onde viveu Mandela no antigo gueto negro de Soweto (Johanesburgo).

Nelson Mandela lutou durante 67 anos contra o regime de segregação racial, o "apartheid", em cujas prisões passou 27 anos e contraiu os problemas respiratórios com os quais sofre de forma recorrente.

Após ser libertado em 1990, Madiba liderou junto com o último presidente do "apartheid", Frederik de Klerk, o desmantelamento pacífico do regime racista.

A luta rendeu a ambos o Prêmio Nobel da Paz de 1993.

Eleito presidente em 1994, Mandela conseguiu uma improvável paz racial, depois de mais de quatro décadas de dominação racista da minoria branca da África do Sul. EFE

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja bem vindo
que você achou?
Meta o dedo
Deixe seu comentário

Flash