Postagem em destaque

Você acredita que a conta de luz vai ficar mais barata com a venda da Eletrobras

O ministro de Minas e Energia, Fernando Bezerra Coelho Filho, afirmou que a conta de luz deverá ficar mais barata a médio prazo com a pri...

pague seguro

Logotipos de meios de pagamento do PagSeguro

Grupo do Blog

segunda-feira, fevereiro 20, 2017

Polícia prende homem suspeito de mandar matar o próprio pai e a irmã em Coari.

Um dos dois executores do crime confessou à polícia que Glauco Luiz foi o mandante dos dois assassinatos

Fábio Oliveira Manaus (AM)

A Polícia Civil do Amazonas prendeu ontem, domingo (19), no município de Coari, um homem suspeito de ordenar a morte do próprio pai e da irmã dele. Glauco Luiz Antony Barros, 29, o “Neto”, é apontado como mandante dos dois crimes e foi preso em mandado de prisão preventiva cumprido pela Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS).
Leia Também
Dentista e filha são mortos por assaltantes
Ele foi preso em via pública, na rua Joani, perto da casa da sogra, no bairro Urucu, na cidade de Coari, localizada a 363 quilômetros de Manaus, segundo informou a assessoria de imprensa da Polícia Civil. A motivação do crime ainda não foi revelada.

Ainda de acordo com a polícia, a prisão dele só foi possível após o depoimento de um dos suspeitos de executar o crime, João Oliveira dos Santos, o “Joãozinho”, que está preso. No depoimento, “Joãozinho” disse que Glauco seria o mandante. O outro suspeito de executar o crime, Kaisoney Pena, vulgo “Neyzinho”, também está preso.

O crime

As vítimas, o dentista Francisco Ferreira Barros, 72, o pai, e Glauci Rayssa Antony Barros, 25, a irmã, foram executados a tiros na última sexta-feira (17), dentro da casa deles, no bairro Tauá Mirim, em Coari. Segundo a polícia, dois homens chegaram ao local de moto, um entrou no recinto enquanto outro esperava do lado de fora.

Ainda conforme a polícia, o homem que adentrou na casa roubou o celular da esposa do dentista, que estava em um quarto com um bebê no colo, e depois entrou em outro quarto onde estavam o dentista e a filha. Após uma discussão, o suspeito efetuou quatro disparos contra o dentista Francisco e depois atirou uma vez na cabeça da filha, Glauci. Depois do crime, eles fugiram.

Investigações

Até então, a principal hipótese para o duplo homicídio era latrocínio, porém o depoimento de “Joãozinho” mudou as investigações, que devem continuar para verificar o envolvimento de outras pessoas. Glauco, “Joãozinho” e “Neyzinho” foram indiciados por homicídio qualificado e devem ficar presos na unidade prisional de Coari, onde irão permanecer à disposição da Justiça.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja bem vindo
que você achou?
Meta o dedo
Deixe seu comentário

Flash