Grupo do Blog

segunda-feira, dezembro 26, 2016

Parte do corpo de um homem é encontrado em saco plástico.

Moradores encontraram partes – os membros superiores e inferiores (braços e pernas) – do corpo de um homem enterrados numa cova rasa e em estado de putrefação. Os restos mortais estavam embalados, cada pedaço, em sacos plásticos pretos.

(Foto: Celso Rodrigues/Diário do Pará)
A vítima ainda não foi identificada e nem se sabe em quais circunstâncias o crime aconteceu de fato. Os membros foram encontrados no quintal de uma residência localizada na avenida José Bonifácio, entre Paes de Souza e rua Silva Castro, no bairro do Guamá, em Belém, na tarde desta segunda-feira (26).

Uma análise preliminar dos peritos criminais indica que o cadáver já estava enterrados há pelo menos 2 dias. Policiais estiveram no local tentando localizar a cabeça e o tronco da vítima, porém as buscas foram suspensas por falta de iluminação e serão retomadas até a manhã desta terça-feira (27). Segundo a polícia, até o momento não é possível afirmar o motivo do crime. O corpo será identificado através das impressões digitais.

Perícia

Nenhum policial civil – investigador ou delegado - quis gravar entrevistas, devido a falta de confirmação das informações. As informações mais concretas, até então, foram repassadas pelo perito criminal Ivanildo Rodrigues, que ressaltou que os restos mortais são de um homem em idade adulta e que a identificação poderá ser feita pelas impressões digitais.

“No estado em que o corpo está, na verdade os membros do corpo se encontram, ainda não se pode afirmar ou detectar quais as possíveis causas para a morte”, atentou.

Não se pode afirmar, por exemplo, se a vítima teve somente os restos mortais enterrados naquele terreno ou se ela também foi morta e esquartejada naquele local.

Os restos mortais foram removidos para o Instituto Médico Legal, onde nesta terça-feira (27) poderá ser feita a identificação da vítima a partir das impressões digitais – já que as mãos da vítima estão intactas. Nos membros não foi observado nenhum tipo de tatuagem que também pudesse ajudar na identificação da vítima.

(DOL com informações de Denilson D'Almeida/Diário do Pará)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja bem vindo
que você achou?
Meta o dedo
Deixe seu comentário

Flash