Grupo do Blog

terça-feira, outubro 18, 2016

Santarém- Sessão especial em apoio ao Outubro Rosa

De autoria da vereadora Marcela Tolentino (SD), o Requerimento, que solicitou da Casa de Leis, a sessão especial desta terça-feira, 18/10, que versou sobre a campanha “Outubro Rosa”, de prevenção ao câncer de mama no município de Santarém.


A vereadora Marcela Tolentino (SD) que também é enfermeira, nesta terça-feira, 18/10, destacou a importância da realização da Campanha “Outubro Rosa”, evento que tradicionalmente é realizada pela Câmara Municipal de Santarém, coordenada por ela, com apoio de todos os vereadores. Segundo a vereadora, outubro é um mês importantíssimo para se trabalhar a conscientização e a sensibilização das mulheres e dos homens sobre o câncer de mama, mesmo que nos homens a incidência da doença seja consideravelmente menor. “Câncer de mama tem matado muitas mulheres pelo mundo afora, o que exige que se dê mais atenção à saúde da mulher, não apenas à prevenção, mas também orientando para que a mulher faça seu autoexame. Um mês para falarmos também sobre a importância da mamografia, que a partir dos 40 anos se tornou lei. Trata-se de um direito garantido para que a mulher realize o exame”.

Marcela disse que se o exame de mamografia for realizado a tempo vai dar condições para que a mulher possa detectar o câncer em fase inicial, com grandes chances de cura. “Por isso temos que abraçar a campanha Outubro Rosa, um movimento local, regional, nacional e mundial”.

Marcela disse que na condição de vereadora e profissional da saúde tem sido vigilante com relação às condições para o tratamento do câncer de mama. Segundo ela, depois da mulher fazer o exame, e uma vez detectado o problema, ela tem o direito de ter um tratamento adequado para tratar e combater a doença. “Esse esforço é para evitar que a mulher faça um tratamento tardio, haja vista que o sofrimento é maior e são reduzidas as chances de sucesso de cura”.

A vereadora disse ainda que a estrutura de equipamentos do município para fazer o tratamento das mulheres acometidas de câncer melhorou parcialmente. De acordo com Marcela Tolentino, o município tinha apenas um mamógrafo e agora dispõe de dois, além disso, há também outros equipamentos no setor privado, mas reconhece que precisa avançar. “Eu tenho conhecimento de que as mulheres continuam aguardando mais tempo que o recomendável para fazer o exame”.

Marcela Tolentino deixou uma mensagem de que todos devem se unir em prol da campanha Outubro Rosa. Seja poder público, empresas privadas, a sociedade civil organizada, que abracem essa causa, privilegiando, sobretudo a informação. “A informação é a principal arma para combater o câncer de mama, fazendo com que a mulher crie a cultura de fazer o autoexame e com isso certamente vai detectar a doença mais precocemente”, concluiu.

Câmara abraça a campanha – Para o presidente da Câmara, Reginaldo Campos (PSC), o Poder Legislativo santareno estimula a campanha Outubro Rosa, por entender a sua importância para a saúde da mulher.

De acordo com Reginaldo, o outubro rosa versa não somente no combate ao câncer de mama, mas em muitas outras áreas que envolvem a saúde da mulher. “O foco, porém, é o câncer de mama, que tem afetado muitas mulheres”, aponta.

O presidente da Câmara ressalta que o Legislativo municipal tem esse papel de contribuir também, com a saúde de todas as mulheres santarenas e oeste paraense.



Diocese de Santarém – O bispo Dom Flávio Giovenale, um dos convidados do evento, disse que é um dever para a Igreja Católica apoiar a campanha no mundo inteiro, uma vez que se volta para a prevenção à saúde das mulheres. Segundo o bispo, em Santarém, as mulheres representam a metade da população. “Além disso, a campanha tem o apoio da Igreja Católica porque ‘Jesus disse que Ele veio para que todos tenham vida e vida em abundância’. Portanto, a Igreja apóia tudo o que pode oferecer uma vida melhor e de qualidade para todos e, em especial, às mulheres”.



Hospital Regional

Para o diretor do Hospital Regional do Baixo Amazonas (HRBA), Hebert Moreschi, a campanha outubro rosa é de fundamental importância pela conscientização e difusão das informações para se chegar ao diagnóstico precoce do câncer de mama, e “ainda é o melhor caminho para se evitar a proliferação da doença”, alerta.

Recomenda as atividades físicas e alimentação saudável, como forma de evitar qualquer tipo de doença, entre elas o câncer de mama. “Porém, no caso deste tipo de câncer a melhor forma é identificarmos precocemente a existência e com isso a cura torna-se potencializada”, recomenda.

Hebert solicita das mulheres que procurem a existência de qualquer tipo de nódulo na mama, e caso identifiquem algo, procurem o serviço médico, para que haja o diagnóstico da existência ou não do câncer de mama.

Segundo ele, tudo isso se dá através da informação e deixa claro, ser por isso a campanha Outubro Rosa da maior importância, para que possam ser disseminadas cada vez mais essas informações às mulheres, a partir do conhecimento do próprio corpo.

De acordo com o diretor, o Hospital Regional do Baixo Amazonas está fazendo este ano um trabalho diferenciado porque estão sendo unificadas as campanhas Outubro Rosa e Novembro Azul. “São 60 dias de palestras junto às comunidades, levando informações importantes, com orientações tanto na prevenção do câncer de mama quanto de próstata, que atinge os homens”, esclarece Hebert Moreschi.

Participação dos homens

O médico Bruno Moura é um dos profissionais da área da saúde que tem ajudado a liderar a campanha Outubro Rosa em Santarém e no Oeste do Pará. Segundo ele, o evento ganha mais importância à medida que se torna um espaço propício para difundir a informação. “A ideia da campanha é levar informações às mulheres para que se previnam do câncer de mama, com a prática de exercícios físicos regular e uma alimentação saudável, bem como a realização de exames precocemente para detectar a doença, principalmente por meio da mamografia”, ressalta.

Bruno disse que nos últimos anos tem percebido uma adesão muito grande à campanha, cujos resultados, na opinião do médico, já se refletem no Hospital Regional do Baixo Amazonas (HRBA). “Hoje, como resultado da campanha Outubro Rosa, nota-se mais pacientes se tratando do câncer de mama porque mais pessoas estão realizando exames preventivos”.

Bruno Moura disse que uma das informações mais necessárias são os esclarecimentos de que é preciso fazer o exame de mamografia a cada doze meses, a partir dos 40 anos de idade, o que vai ajudar a detectar a doença precocemente. “Quando se detecta o câncer precocemente a chance de cura da mulher é muito elevada e o tratamento é menos doloroso, por isso se tem insistido durante a campanha sobre a importância de se realizar o exame”, lembra.

O médico disse também que apenas 1% de homens é acometido do câncer de mama, mas o que se percebe que independente desses índices, pelas suas esposas, os homens têm abraçado a causa e isso se torna mais evidente na corrida Outubro Rosa [evento organizado pela Clínica de diagnósticos Sanclin em Santarém]. “Os homens realmente entraram de peito na campanha e isso é muito importante para as mulheres, porque ao verem os homens participando são mais estimuladas a se cuidar também”.

Testemunhos

Um dos momentos mais especiais da sessão foram os discursos do casal Josenilson de Sousa Guimarães e Iracema Leal de Farias Guimarães. O gerente comercial subiu à tribuna com a esposa para falar do seu exemplo de companheirismo, compreensão e solidariedade ao ficar ao lado da mulher durante o tratamento dela contra o câncer de mama, diagnosticado em maio de 2014. Ele relatou que até raspou a cabeça sempre que Iracema se submetia às sessões de quimioterapia e sofria a queda de cabelos. “O ideal é que nós, maridos, nos empenhemos em combater essa luta [câncer de mama] junto com elas. Quando eu raspei a cabeça após a primeira quimioterapia, ela [Iracema] disse que foi o melhor remédio naquele momento”, declara.

Iracema foi submetida à cirurgia para retirada do tumor em outubro de 2014 no Hospital Regional do Baixo-amazonas (HRBA), onde ela ainda realiza trimestralmente um tratamento denominado hormonioterapia, que contribui com a reposição de hormônios perdidos durante o processo de cura da doença.

Em janeiro de 2016, Iracema juntamente com outras pessoas que enfrentam a luta contra o câncer de mama, fundou o Projeto “Mais Apoio”, que ajuda a pacientes com dificuldades financeiras se manterem durante o tratamento, principalmente com alimentos. “Todos os meses o movimento realiza uma ação em uma das casas de apoio de Santarém”, explicou.

De acordo com Iracema, as ações são realizadas principalmente em datas comemorativas, citando como exemplo o “Dia Internacional da Mulher”, comemorado no dia 08 de março, quando são doadas cestas básicas, brindes como flores, perfumes, e na páscoa são doados vinho, pão, entre outros.

A professora Ansleíria Rodrigues, que já sofreu com o câncer de mama, lidera atualmente o “Grupo Amigos do Peito”. Para ela o Outubro Rosa, vem para reafirmar as políticas públicas existentes hoje com relação à saúde da mulher. Disse que está feliz em saber que existem em Santarém vários movimentos em prol do combate ao câncer de mama. Parabenizou ainda a Câmara de Santarém, pela iniciativa da sessão especial, que discute as questões ligadas ao câncer de mama.

Ansleíria que é importante uma espiritualidade e uma corrente do bem muito forte. Ela relata que teve a graça de passar pelo processo de recuperação durante quatro anos e meio. “Estou com os exames controlados, graças a Deus, e estou aí ajudando outras mulheres. Só tenho o sentimento de gratidão”, realça.

Participação da Academia

Leandro Vinícius, acadêmico do 7º semestre de medicina da Universidade Estadual do Pará – UEPA, falando a respeito da campanha Outubro Rosa, disse que entende ser importante, que a oncologia seja levada também ao conhecimento da sociedade em geral.

Entende que os principais espaços para que esse conhecimento seja dado à população, são as unidades básicas de saúde, postos desse segmento e campanhas, como é o caso do Outubro Rosa.

O estudante defende a atenção básica à saúde como instrumento de prevenção a muitas doenças, entre elas o câncer de mama. De acordo com ele, a partir daí é possível evitar a maior gravidade das patologias.

Em sua opinião um dos papéis dos acadêmicos de medicina é fazer com que esse conhecimento de prevenção às doenças, a partir da atenção básica à saúde, seja transmitido à população.

Segundo Leandro, a informação é a principal arma de prevenção às doenças, principalmente, no caso do câncer. Porém, recomenda que a partir da constatação, as pessoas, neste caso as mulheres, procurem o médico.

Histórico

O Outubro Rosa é um movimento popular, que teve origem nos Estados Unidos e atualmente é comemorado em outros países. O laço rosa, criado pela fundação americana “Susan G. Komen for the Cure” (Susan G. Komen para a Cura) é o símbolo do movimento que apóia a luta contra o câncer de mama e estimula a participação da população, empresas e entidades. O Outubro Rosa tem como objetivo alertar toda a população e principalmente as mulheres sobre os riscos e a necessidade de diagnóstico precoce do câncer de mama.

Hoje, o Outubro Rosa é conhecido e comemorado em diversos países do mundo. No Brasil, a primeira ação referente ao Outubro Rosa aconteceu em São Paulo, no ano de 2002. Posteriormente, mais cidades brasileiras passaram a apoiar a causa como Rio de Janeiro, Salvador, Porto Alegre, Brasília, Teresina, Belém e Santarém. Algumas até começaram a iluminar seus cartões postais com a cor rosa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja bem vindo
que você achou?
Meta o dedo
Deixe seu comentário

Flash