Postagem em destaque

Com altos níveis de mercúrio no sangue, santarenos estão sob risco de efeitos tóxicos

Professora Doutora, Heloísa avaliou os níveis de concentração de mercúrio no sangue de pessoas que vivem na região de Santarém. Décadas...

Grupo do Blog

sexta-feira, outubro 03, 2014

Mulher denuncia médico do Hospital Municipal por morte de bebê

Médico santareno é denunciado por negligência médica.


Em Santarém, mulher culpa médico por morte de bebê
Família diz que médico não quis fazer cesária.
Somente o laudo irá apontar a causa da morte.

Do G1 Santarém

João Vitor seria o segundo filho de Albino e Ivanilce (Foto: Reprodução/TV Tapajós)

A família de um bebê que nasceu morto na quarta-feira (1º) no Hospital Municipal de Santarém, oeste do Pará, cobra providências da polícia para apurar o ocorrido. Segundo eles, houve negligência médica na hora do parto. A mãe da criança, Maria Ivanilce Bernardes Viana, 26 anos, diz que o médico não quis fazer uma cesária e, por isso, o bebê, que já era chamado de João Vitor, nasceu morto.


De acordo com o pai da criança, Albino Pedroso, a mulher dele, Maria Ivanilce, começou a perder líquido por volta de 23h de segunda-feira (29), quando foi levada para o Hospital Municipal. “Ela chegou perdendo líquido e, ao invés de o médico fazer a cesariana para retirar meu filho, eles só aplicaram um soro nela”, afirmou.

Na terça-feira (30), Sandra Maria, que acompanhou todo o procedimento da noite anterior, questionou o médico sobre os procedimentos. “Eu perguntei para o médico se ele ia operar ela, mas ele falou que não, que ela teria a criança de parto normal”, contou a amiga.

Na quarta-feira (1º), Ivanilce fez um ultrassom no qual foi detectado que o cordão umbilical estava enrolado no pescoço da criança. O médico ouviu o batimento cardíaco do bebê, mas não quis realizar a cirurgia, segundo ela. Quando a criança nasceu, estava morta.

Maria Ivanilce alega que o bebê morreu por irresponsabilidade do médico quando se recusou a operá-la. “Se ele tivesse me operado, meu filho estaria vivo, pois ele viu que minha bolsa já havia estourado”, reclama.

Somente após o laudo do Instituto Médico Legal (IML) será possível identificar as causas da morte.

A assessoria de comunicação do Hospital Municipal informa, por meio de nota, que durante o parto o bebê da paciente sofreu aspiração meconial, situação clínica de difícil reversão. A nota ressalta que foram feitas todas as manobras necessárias, mas a criança não resistiu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja bem vindo
que você achou?
Meta o dedo
Deixe seu comentário

Flash