Grupo do Blog

quarta-feira, maio 14, 2014

O Fantasma: Arena da Amazônia Pós Copa.

Será se a Arena da Amazônia vai se tornar um Elefante Branco depois da Copa. Governador José Melo diz que estudo vai apontar destinação da Arena da Amazônia para o pós-Copa.



Foto - Michael Dantas / AGECOM

O governador do Amazonas, José Melo, afirmou na noite de quinta-feira, 8 de maio, durante a partida entre Princesa do Solimões X Santos, pela Copa do Brasil, na Arena da Amazônia, que o Governo do Estado aguarda o resultado de um estudo encomendado a uma empresa de consultoria que vai apontar qual o modelo de gestão para o estádio após a Copa do Mundo. “É uma arena multiuso que servirá para o futebol e para outros tipos de atividades rentáveis. Contratamos a empresa Ernest & Yung, que está fazendo um trabalho verificar o destino da arena e do complexo ao redor, no sentido de transformá-la numa arena multiuso capaz de ter sustentabilidade. Só após esse estudo, poderemos dizer como será feito”, disse o governador.


Sobre o próximo jogo teste na Arena, que vai sediar os jogos da Copa em Manaus, José Melo disse que ainda está sendo analisada a possibilidade de realização de uma outra partida antes da entrega do estádio para a Fifa. “Flamengo x Bahia está cogitado, mas ainda não tem nenhuma decisão. Até segunda-feira, teremos uma posição”, disse o governador, que também falou sobre os jogos de inauguração dos estádios Carlos Zamith, no Coroado, zona leste, e o Ismael Benigno, a Colina, em São Raimundo, zona oeste. Segundo Melo, o estádio do Coroado deverá ter Nacional x Princesa do Solimões e a Colina um Clássico Galo-Preto (São Raimundo x Sulamérica).

Ambos os estádios, construídos pelo Governo do Amazonas e que servirão de Centro de Treinamento para as seleções que jogarão em Manaus estão em fase final de acabamento, com previsão de inauguração até o fim deste mês. O governador mostrou-se bastante otimista sobre a preparação da cidade para os jogos e disse que Manaus vai dar um show de controle e organização.

“Esses jogos servem para testarmos a funcionalidade da Arena. A cada partida, aprimoramos ainda mais, e os resultados que temos até hoje são animadores. A Arena tem uma bela funcionalidade, a questão do trânsito funcionado, gramado e iluminação impecáveis. Nossa arena vai ser admirada mundo afora nos jogos que serão realizados aqui”, afirmou José Melo, ao declarar que quase tudo está pronto. “Acho que estamos praticamente preparados para recebermos a Copa. As obras do entorno da Arena estão praticamente prontas e o Centro de Comando e Controle Integrado de Segurança recebe nesse momento equipamentos e o mobiliário, o aeroporto está bem adiantado e a rede hoteleira também. Que venham os jogos, pois a nossa parte fizemos”.

Acesso ao estádio – Torcedor do Princesa, o professor Moisés Aguiar, 49, veio com a família do município de Manacapuru para torcer pelo time de coração e destacou o bom funcionamento no acesso à Arena da Amazônia. “O acesso foi muito prático e fácil, com policiamento ostensivo e tudo bem informado. Espero que seja assim na Copa do Mundo e com um atendimento muito melhor para que possamos dar sempre esse bom exemplo em nosso Estado”.

A estudante Tyciane Jardim, 31, veio pela primeira vez conferir um jogo na Arena da Amazônia e disse que ficou impressionada pela praticidade na entrada. “Ocorreu tudo bem na entrada e o acesso foi rápido. Pensávamos que ia ser complicado, mas o atendimento foi organizado e vejo que estamos preparados para a Copa”, destacou Tyciane, que foi torcer pelo time do Santos.

Atendimento médico – A estrutura médica-ambulatorial da partida entre Santos e Princesa do Solimões na Arena da Amazônia contou com 3 Unidades de Terapia Intensiva (UTI) Móvel e 1 ambulância de unidade básica. Com um efetivo de 15 profissionais da área da saúde, foram registradas somente 12 ocorrências nos dois locais de atendimento dentro do Estádio. A maioria dos registros foram atendimentos sem gravidade.

Segurança – A operação de segurança para o jogo entre Princesa do Solimões e Santos, pela Copa do Brasil, na Arena da Amazônia, contou com um efetivo de mais de 1,6 mil servidores, entre policiais militares, civis, Corpo de Bombeiros, agentes do Detran-AM, ManausTrans e Divisão de Vigilância Sanitária.

Segundo o tenente-coronel Cláudio da Silva, coordenador adjunto do Centro Integrado de Comando e Controle de Segurança Local, o clima foi de tranquilidade durante todo o dia. Os trabalhos da segurança externa na região da Arena e entorno começaram às 15h com a montagem de barreiras de vistoria e intervenções no trânsito. “Estamos utilizando todos os recursos que recebemos para a Copa do Mundo e testando nossa capacidade. Entre eles, as plataformas de observação elevada e os centros móveis, verificando a utilização adequada para uso eficiente no mundial”, reforçou.

O aposentado Emanoel Queiroz, 66, trouxe os dois filhos e oito netos para ver o jogo e aprovou a segurança. “São dois filhos e oito netos, três gerações de santistas. A segurança foi bem organizada. Você vem com a família e fica tudo tranquilo, sem problemas nenhum”, disse.

A universitária Luanny Vitória, 19, veio com a mãe e a irmã assistir a partida. As recifenses, que se mudaram para Manaus no ano passado, vieram torcer pelo Princesa e ficaram satisfeitas com a organização e segurança nos arredores do estádio. “A estrutura de segurança está muito eficaz. Eles estão revistando, separando homens e mulheres. Isso é importante. A gente não está vendo briga, confusão, então dá para perceber que a segurança está eficiente”, comentou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja bem vindo
que você achou?
Meta o dedo
Deixe seu comentário

Flash