Grupo do Blog

quinta-feira, abril 10, 2014

Marcola deixa isolamento em Presidente Bernardes.

O lider do PCC Marcos Willians Herbas Camacho, deixará o isolamento por ordem do Desembargador Péricles Piza do TJ-SP.

Após 1 mês, TJ-SP retira Marcola do isolamento em Presidente Bernardes (SP)

O desembargador Péricles Piza, do TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo), determinou que Marcos Willians Herbas Camacho, o Marcola, principal líder do PCC (Primeiro Comando da Capital), seja retirado do RDD (Regime Disciplinar Diferenciado) do presídio de Presidente Bernardes (580 km de São Paulo), onde o criminoso cumpre a sentença em isolamento. Piza aceitou um pedido feito pela defesa de Marcola.



A facção criminosa PCC foi criada em agosto de 1993, num presídio de Taubaté (a 140 km de SP). Ela surgiu após o massacre do Carandiru, ação policial que deixou 111 presos mortos na invasão do pavilhão 9 da antiga Casa de Detenção. O grupo fundador do PCC reivindicava o fim da linha dura e dos maus-tratos contra os presos. Marcola (f) assumiu a chefia da facção no final de 2002. Ele está preso por roubo a bancos.

Marcola foi transferido para o RDD em 11 de março passado após órgãos de imprensa revelarem um plano de fuga da facção para resgatá-lo junto com mais três líderes do PCC da penitenciária 2 de Presidente Venceslau --Cláudio "Barbará" da Silva; Célio Marcelo da Silva, o Bin Laden; e Luiz Eduardo Barros, o "Du Bela Vista".

O pedido para transferi-lo ao RDD foi feito pelo governo do Estado de São Paulo. Na decisão, o desembargador concluiu não haver provas de participação de Marcola no plano de fuga, o que invalidaria a transferência do líder dele ao RDD, considerado o regime mais severo do sistema prisional.

No plano de fuga, ao qual o UOL teve acesso, não há registro de conversas feitas por Marcola. A maior parte das interceptações foi feita em conversas de Barbará e Bin Laden com pessoas que estavam fora do presídio.
Falhas em Presidente Venceslau

Em Presidente Bernardes, além de ficar isolado em cela individual, o detento tem direito a apenas duas horas diárias de banho de sol e as visitas são mais restritas --mais curtas e controladas-- e o preso não tem acesso a jornais e televisão.

Com a decisão judicial, Marcola deve retornar a Presidente Venceslau, onde os presos acessam meios de comunicação, mantêm contato com outros detentos, têm direito a banho de sol diário de seis horas e as visitas ocorrem duas vezes por semana.

No mês passado, reportagem publicada pelo UOL mostrou que a penitenciária de Presidente Venceslau possui falhas de segurança que permitiram que lideranças do PCC comandassem o plano de fuga de dentro do presídio.

A reportagem também apurou que os bloqueadores de celular instalados na penitenciária --a primeira e única até agora a receber este tipo de equipamento-- falharam dias após a instalação, permitindo que os líderes do PCC combinassem os detalhes finais do plano de fuga.

RELEMBRE: LÍDERES DO PCC SÃO TRANSFERIDOS PARA REGIME DIFERENCIADO

Batalha do RDD

A batalha do governo de São Paulo e do Ministério Público para enviar Marcola e outras lideranças do PCC ao RDD é antiga. Em setembro passado, após concluir a maior investigação sobre o PCC, o MP solicitou a transferência de vários líderes do facção ao regime, mas o pedido foi negado cinco meses depois.

A transferência dos criminosos ao RDD só foi obtida em março deste ano depois que o plano de fuga vazou. Após a transferência, as autoridades de segurança pública do Estado ficaram em alerta para possíveis ataques da facção em retaliação.

Em maio de 2006, o PCC promoveu uma série de ataques a agentes de segurança pública para protestar contra a transferência de líderes ao RDD. Dezenas de policiais militares e civis, além de guardas metropolitanos, foram mortos nas ações. Em resposta, a polícia matou mais de 400 pessoas nos dias posteriores aos ataques.
Ampliar


Violência no Estado de São Paulo200 fotos1 / 200
9.abr.2014 - O 'bandido do terno' foi preso pela DIG (Delegacia de Investigações Gerais) de Ribeirão Preto em Jardinópolis, interior de São Paulo, nesta terça-feira (8). Ele é suspeito de roubar pelo menos 3 farmácias, todas usando terno. O homem chegava ao estabelecimento, pegava remédios e produtos de beleza e ao chegar no caixa para fazer o pagamento, anunciava o assalto, mostrando uma arma dentro no terno. Segundo a polícia, ele usava uma arma de choque, que foi encontrada na casa do suspeito Alfredo Risk/Futura Press/Estadão Conteúdo

Guilherme Balza
Do UOL,

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja bem vindo
que você achou?
Meta o dedo
Deixe seu comentário

Flash