Postagem em destaque

Vereador, esposa e filho são amarrados durante assalto em residência

A casa do vereador Daniel Siqueira Neves, conhecido como Daniel dos Estudantes, de 29 anos, localizada no bairro Santa Rita, em Jacundá, no...

pague seguro

Logotipos de meios de pagamento do PagSeguro

Grupo do Blog

quarta-feira, janeiro 29, 2014

Projeto para a praia do maracanã



Solução para a degradada praia do Maracanã

Extraido do Blog do Jeso Carneiro
Por David Marinho (*)


Complementando o artigo anterior sobre o assunto, quando mostramos os agravos atuais da Praia do Maracanã, agora sugerimos as melhorias físicas.

Primeiro: o governo municipal deveria cadastrar todos os barraqueiros existentes hoje, fazer um planejamento junto a eles e montar uma associação, para que no período de verão fossem demolidas todas as atuais barracas.

Em seguida, a prefeitura construiria uma infraestrutura de mobilidade em concreto ao seu entorno, como: passarelas largas e rampas, sanitários e vestiários coletivos higiênicos e impermeabilizados, com fossas hermeticamente fechadas para bombeamento periódico para evitar a contaminações do lençol freático e do próprio rio no período da cheia; postos de fiscalização de bombeiros, polícia militar e agentes ambientais.



Além disso: um sistema de iluminação externa e caixa d’água elevada, alimentada com poço semi-artesiano profundo, para abastecer todo o complexo com água de qualidade.


Atrás dos quiosques existe uma grande área ociosa, que apesar de ficar submersa nas grandes cheias, pode receber um aterro compactado com um lastro de britas em nível compatível com as enchentes e ser implantado um estacionamento com retorno, parada de ônibus e canteiro central, meio-fios em concreto e calçadões em bloquetes para pedestres.

Depois, de acordo com a quantidade de comerciantes, seria disponibilizado um convênio com o Sebrae e bancos estatais, para crédito financeiro a longo prazo, para que eles reconstruíssem suas novas barracas, sob uma fiscalização técnica e competente.


As novas barracas seriam erguida sobre lajes estruturais separadas uma das outras entre as árvores, obedecendo a um projeto padrão tipo chalé, com no máximo três modelos arquitetônicos e três tamanhos em áreas construídas, mas interligadas à passarela central por acessos secundários individualizando os pontos.

Na principal chegada frontal, seria construída uma recepção geral ampla e coberta com rampas e escadas conectada à passarela central, onde poderia ser exposto produtos do artesanato local e regional além de manifestações folclóricas de danças.

Nas “imagens 3D”, sugestões de como poderia ser feita essa infraestrutura nesse lugar tão bonito e aprazível, porém mal explorado.

Acho que os comerciantes apoiariam essa inciativa, pois a médio prazo eles teriam o retorno de seus investimentos com serviços de qualidade a seus clientes e a valorização de seus patrimônios comerciais.

- – - – - – - – - – - – - – - – - – - -

Santareno, é projetista e gestor ambiental.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja bem vindo
que você achou?
Meta o dedo
Deixe seu comentário

Flash