Grupo do Blog

terça-feira, outubro 09, 2012

Eleições 2012 ! O esporte deu seu recado !

Agora, somente agora, postamos o artigo dessa semana. Foi um atraso necessário. Dois dias após o pleito, observando os reeleitos, eleitos e nãoeleitos, entre mortos e feridos, conseguimos ver sem dificuldades alguns do esporte. E buscando a imparcialidade, sem gostar ou desgostar, citamos nomes e fatos, sem pretensões extras, somente analítica.
* Naison Castro



Dentre os vereadores, o mais votado, Reizo Castelo Branco, apareceu no horário de propaganda falando sobre a reforma de campos de futebol, angariando alguns votos. Fabrício Lima, pela primeira vez eleito (sempre assumiu como suplente), foi honrosamente reconhecido pelo trabalho feito na Secretaria Municipal de Desporto no período de 2009 a 2012(o apoio do CREF-Conselho Regional de Educação Fïsica foi fundamental).

Sildomar Abtibol, ex-jogador do futsal, ainda tem muitos votos declarados dessa modalidade. Terezinha Ruiz, mãe de um grande apoiador do futebol profissional local, teve votos conseguidos por ele. Mitoso, presidente do Nacional Futebol Clube, agradece o apoio dos torcedores do “mais querido”. Joãozinho Miranda recebeu apoio fundamental de alguns professores e lutadores como Titão e Humberto Barbosa Junior. O bem sucedido empresário Adnailson Rozenha, muito cobrado, finalmente candidatou-se e contou com a força do esporte para sua eleição, uma vitória, principalmente do futebol. Enfim, votos vencedores oriundos do esporte não faltaram para a vereança.


Dentre os que se destacaram, mas na contagem final não foram eleitos, também muitos votos esportivos são claramente percebidos. Os ex-jogadores Gonzaga Arsenal da Colônia Oliveira Machado, Buiú da Redenção, Jeorge Clay do Alvorada, Julio Cesar do Hiléia, Elvis Damasceno do Japiim, Cabo Moacir do Mutirão, Luis Neto do Santo Antônio/Parque Dez, Pedro Nunes Ring-Box do São José e o quase eleito Helinho Oliveira do Ajuricaba. Observando da Lua, a “olhos nus”, esses se destacaram com votos do desporto.

Dentre os prefeituráveis, muitos votaram no 40 por conta do vice Marcelo Ramos, ex-atleta e ex sub-secretário municipal de esportes. Também pelo desportista Rodrigo Frota, seu vice, Gerônimo Maranhão recebeu alguns votos. Pauderney Avelino, com o 25, revelou em programa de rádio, ter sido atleta do basquete, vôlei e natação, recebeu votos. Vanessa Grazziotin com o 65, que deveria ter explodido com votos do desporto( já que os programas de governo atendem a pelo menos 180 mil pessoas, dentre jovens e idosos) representava a Secretaria de Estado de Esporte e Lazer, recebeu poucos votos, o que e ratifica nosso pensamento de que o trabalho NÃO está tão maravilhoso como é divulgado.

Finalmente chegamos ao mais votado e vencedor do primeiro turno, Artur Neto, que ganhou destaque na preferência de quem é adepto dos esportes, pois além de ser um faixa-preta de Jiu-Jitsu, incorporou em sua candidatura a esperança pela mudança pragmática e imediata. Recado dado: “É preciso mudar!”

Feita a singela e despretensiosa explanação, deixamos implícita a crítica a quem administra o todo, incluindo o desporto. O que foi feito esportivamente no município foi percebido e valorizado pela população. O que vem sendo feito no estado, há muito tempo, não! O resumo da ópera nos diz que pouquíssimo na SEJEL surte efeito positivo. Que a continuidade de trabalho deve ser garantida, independente de quem assumir as secretarias esportivas. Que os “bam-bam-bans” devem entender que a funcionalidade deve ser perene, acima de três ou quatro meses por ano, que um portal não resolve nenhum problema, que as poucas vitórias têm sido dos atletas e suas famílias, que os projetos só ajudam aos seus executores (como as ONGs), que a Copa do Mundo não seduziu a população... A observação precisa mudar, começando pela indicação, que por sua vez precisa ser por mérito e direcionada para quem vive e luta pelo esporte e não por quem lá é posto politicamente e por isso apenas assina convênios e bate palmas para manter o cargo.

Assim como nas corridas, jogos e quaisquer outras disputas, o primeiro turno das eleições 2012, em Manaus, fala por si: “O Esporte deixou de ser acéfalo!”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja bem vindo
que você achou?
Meta o dedo
Deixe seu comentário

Flash