Postagem em destaque

Nélio assina Ordem de Serviço para a 2ª etapa da Praça de Eventos

Assinada a Ordem de Serviço para 2ª etapa da Praça de Eventos O Prefeito de Santarém Nélio Aguiar e o secretário Municipal de Infraest...

Flash

Poderá gostar também de:

Participe

Quem achou interessante

segunda-feira, setembro 19, 2016

Política: Se governo não fixar prioridades pode perder tudo no Congresso, diz Renan

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), defendeu nesta segunda-feira (19) que o governo estabeleça com clareza sua prioridade Legislativa neste momento, sob risco de desviar o foco e sofrer derrotas em temas importantes.

 

Renan Calheiros defendeu que o governo estabeleça sua prioridade Legislativa neste momento – foto: Divulgação

“Acho que é muito importante especificar as prioridades. Fazermos as reformas estruturantes e as outras reformas também, mas especificar prioridades sem a preocupação de mandar tudo ao mesmo tempo para o Congresso Nacional. Porque se você manda tudo ao mesmo tempo você acaba perdendo tudo, e isso será muito ruim para o Brasil”, afirmou Renan.

Assim como o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), o presidente do Senado defende que a prioridade neste ano seja a aprovação da Proposta de Emenda à Constituição que congela os gastos federais pelos próximos 20 anos, com possibilidade de revisão daqui a dez anos.

A chamada PEC do Teto de Gastos está em análise em uma comissão especial da Câmara.

O governo também trabalha com essa prioridade, mas após pressão do mercado e de sua área econômica acabou se comprometendo a enviar até o final deste mês ao Congresso também a sua proposta de reforma do sistema previdenciário.

“O governo já anunciou que vai mandar a reforma da Previdência, que é muito importante, mas todos sabem que ela vai produzir resultados no médio e longo prazo. E precisamos ter uma proposta criativa, que não revogue direitos, que tenha uma transição e que seja compreendida e assimilada por toda a população”, disse Renan.

Maia já afirmou que na melhor das hipóteses a reforma da Previdência só será votada em plenário em 2017.

Por Folhapress

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja bem vindo
que você achou?
Meta o dedo
Deixe seu comentário