Postagem em destaque

Luciana Gimenez chama atenção com foto provocante

Ousada que só ela, a apresentadora Luciana Gimenez esbanjou sensualidade em um registro compartilhado nas redes sociais. Aos 47 anos de id...

Flash

Poderá gostar também de:

Participe

Quem achou interessante

Cadê Você


O paredão do Norte Nordeste



Da Coluna Cadê você

www.tucuximy.blogspot.com

Depois do blog fazer a primeira homenagem a Lucio Santarém um dos 10 maiores jogadores que nosso Editor viu jogar no Elinaldo Barbosa e Barbalhão, agora chegou a vez de homenagear um dos maiores zagueiros que tivemos o prazer de ver jogar envergando a camisa Gloriosa do São Raimundo Esporte Clube, trata-se de Chico Monte Alegre. 
 

Monte Alegre Mora Atualmente na França


O jovem velho conhecido carinhosamente por seus amigos,veio de Monte Alegre para jogar pelo São Raimundo em uma fase negra, o pantera estava se reformulando, o então presidente José Sebastião Lopes resolveu fazer um timaço para fazer frente ao seu rival São Francisco, de imediato o cartola alvinegro contratou Chico Monte Alegre, Rubney, Ivan Costa, Arnaldo Chulapa, Gilson, Ailton,Natinho, Barroso, Aldo, Bianor, Zaqueu, Tostão etc... sei que foi um timaço, o time foi campeão diversas vezes, um destaque do time chamou atenção dos cartolas do Clube do Remo de Belém do Pará pelas suas passadas largas e postura a frente da zaga alvinegra, isso foi o suficiente para que o craque Chico Monte Alegre começasse a trilhar seu próprio destino. Em Belém Chico se afirmou como um dos melhores zagueiros que já passaram pelo Clube do Remo.,o defensor brilhou com a camisa do maior do norte por duas temporadas. 

 

Nascido no dia 8 de Dezembro de 1965, o jogador fez com Belterra, uma das melhores duplas de zaga já vistas no clube de periçá e que ainda hoje povoam os sonhos de muitos azulinos. 

Conquistou o bicampeonato paraense em 1990 e 1991 e foi titular em todas as partidas da magnífica campanha do leão na Copa do Brasil de 1991, onde chegou a semi-final, perdendo para o Criciúma de Felipão, que se sagrara campeão. 

Sua maneira ímpar de jogar, deixa até os menos saudosistas com vontade de rever um zagueiro de tal classe comandando o sistema defensivo do Remo. 

Saiu do leão do norte e foi para o leão do nordeste (Sport Recife-PE). Na equipe pernambucana fez bastante sucesso, comparável com o feito no Clube do Remo. 

 

Chico com seus filhos

Leia Também

O Azogue do Panterão

O Goleiro de 64.010 Torcedores


No Sport conquista o seu primeiro título de uma série de cinco consecutivos num campeonato muito movimentado, onde o Santa venceu o primeiro turno e o Sport os dois seguintes. A finalíssima tornou-se um duelo particular entre Abel Braga (treinador do Santa) e Hélio dos Anjos (treinador do Leão), que acabou levando a melhor na final com um empate de 1x1, sendo o gol do Sport marcado por Luis Müller. O Sport terminou o campeonato com a brilhante marca de 22 Vitórias, 11 empates e apenas uma derrota. 


 

Jogadores que participaram da campanha: Albérico, Russo, Adriano, Chico Monte Alegre, Chiquinho, Luís Müller, Ataíde, Marcão, Marcelo, Joãozinho, Dedé, Dário, Érlon, Gaúcho, Edinan, Rogério, Pig, Givaldo, Wallace e Gilvan. 

Chico é considerado um andarilho do futebol, passou por clubes como Vitória (BA) Figueirense, Barauna de Natal, Belenense de Portugal, Águia de Marabá,Ceara,Paços de Ferreira de Portugal. 



No Belenense de portugal foi idolo


Cadê Você Chico? 

Estou morando na França e sou treinador de futebol do Clube Nivolas. 

Quero agradecer ao glorioso Chico monte alegre que nos atendeu via Skype direto de sua confortável casa em Lyon. Tivemos ainda a colaboração do Belenense de Portugal e dos Idolosazulinos.

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx



O Azogue do Panterão
Aos 44 anos, nosso entrevistado abre seu baú e conta sua trajetória no mundo do futebol, casado pai  de dois filhos, formado em Ciencias Contábeis trabalha hoje na Rede Celpa,  nos gramados brilhou como niguém, seu chute era capaz de desafiar a gravidade, prova disso vamos postar um vídeo da vitoria do São Raimundo aos 46 minutos um chute digamos na veia que deu o titulo santareno de campeão ao pantera.
 Nosso convidado  divide sua vida entre Santarém e Alter do chão e foi lá na bela ilha que arnaldo  me concedeu essa entrevista.
Onde tudo começou boleiro
Arnaldo - Comecei jogando futsal pela Grande Família um time só da família onde fomos campeão santareno de futsal. Depois ingressei no São Raimundo com 16 anos no time principal.

 Você despontou muito cedo para o futebol, como foi sua ida para o papão.
Arnaldo – Fui até Belém para tentar o vestibular e prosseguir nos estudos. Morava com meu tio Zuza que no final de carreira de Atleta Profissional, estava jogando no Sporte Belém e eu fui treinar com Ele. Onde despertou o interesse dos Diretores do Payssandú.
Quanto tempo ficou no Paysandu
Arnaldo - fiquei de 83 a 88, fui Campeão Paraense de Juniores no ano de 85 e artilheiro com 26 gols.

Arnaldo Você foi cobiçado por vários clubes do cenario nacional, um deles foi o Vasco da Gama, por quer sua trasferencia não foi concretizada.

Leia Também:
Arnaldo -O Payssandú nunca deixou que me transferisse para outro clube principalmente ao Vasco da Gama, por incompetência do presidente da época  Deputado Iranildo Paiva, e outro motivo era que o Payssandú queria pagar suas dívidas com a minha venda estava pedindo muito alto pelo passe, fui indicado ao vasco da gama pelo treinador Zanata e Alcir Portela ambos ex jogadores do vasco
Arnaldo todo atleta sonha jogar no Clube do Remo ou Paysandu, Porque seu retorno ao futebol santareno?

Arnaldo - Retornei a Santarém porquê não queria mais jogar, estava desmotivado com futebol devido o Payssandú não me liberar para outro clube.
Você jogou pelo São Raimundo e São Francisco você lembra os anos que foi campeão.
Arnaldo - No São Raimundo fui campeão em 89, 90,91, 93. Pelo São Francisco fui Campeão Santareno em 97 e artilheiro do campeonato com 9 gols.
Você marcou quantos gols como profissional
Arnaldo - Não me recordo, mais ainda vou fazer uma pesquisa na Federação Paraense, ou na Confederação Brasileira de Futebol
Seu clube de coração
Arnaldo - São Raimundo, mais tenho um carinho especial pelo São Francisco.
Falando em São Francisco, como foi sua passagem por lá.
Arnaldo - A minha passagem pelo São Francisco foi muito boa, participei da grande campanha inesquecível do clube na série C do brasileiro onde fui artilheiro do clube com 6 gols.
Você teve uma passagem também pelo Rio Negro de Manaus. 
Arnaldo –Sim, minha passagem pelo Rio Negro foi muito curta fiz poucos jogos e marquei só 3 gols, um deles foi olímpico no Estádio Vivaldão, mais também fiz muitas amizades como por exemplo,  Jogadores que jogaram comigo no Rio Negro,  Zé Eduardo, Edigler, goleiro Carlinhos, Odair, Willian, Bodinho e Tangará, e outros que no momento não recordo.
Qual é a sua melhor lembrança como jogador
Arnaldo -  Maior lembrança como jogador foi o título de 93 campeão pelo São Raimundo onde fiz o gol do título aos 45 minutos do segundo tempo na furada do zagueiro funil que até hoje os torcedores tanto de São Raimundo como do São Francisco não esquecem.
 Ver video
 Arnaldo a vida de jogador é muito curta, porém é marcada pelas amizades você quer lembrar alguém.

Arnaldo - Talvez esqueça de alguém mas de imediato lembro do  Bendelack, Filiba, Assunção, Issac, Haroldinho, Cabecinha, Toco, Sanalto, Luis Otavio, Funil, Dias Renato, Walter Lima, Valdo Cabaça,Beato e muitos outro que me falha a memória neste momento

Parte dessa entrevista foi feita por e-mail
Nosso craque é formado em Ciencias Contábeis e desenpenha suas funções na Rede Celpa.
Esse é mais um craque que eu vi jogar no barbalhão. Aguarde apróxima que será com o bailarino do panterão Valdo Cabaça. 
 É proibido a reprodução sem citar a fonte.
xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx





O Goleiro de 64.010 Torcedores

Cadê Você Pedrinho
 

Como professor, jogador e desportista impar no cenário do nosso futebol. Merece o nosso reconhecimento por ter abraçado á árdua missão de mestre na escola e dentro dos campos de futebol. Pedrinho Moreira como é conhecido foi a luta pela vida desde que perdeu o seu pai, ainda garoto e sem noção desta realidade assumiu a responsabilidade como o filho homem mais velho da família. Mesmo garoto, não decepcionou seus familiares e foi em frente com humildade protegendo a família com trabalho e dignidade. A bola era nas horas vagas do trabalho, e desde o início jogava de meio campo ou lateral esquerdo, devido ser canhoto.

CAMPO DO VETERANO

Foi pertinho da sua casa, que tudo começou, nas peladas e no Bonsucesso, hoje Esporte Clube Santarém. No entanto, antes de começar os treinamentos ou mesmo as peladas, Pedrinho Moreira gostava de ficar brincando de chutar no gol, com colegas de campo, hora chutava, hora defendia, mas jamais imaginava que o goleiro Walkir Cardoso, observava suas defesas e elasticidades demonstradas nas brincadeiras.

A 1ª VEZ COMO GOLEIRO

 Foi um jogo dos Açougueiros e Bonsucesso, Pedrinho jogava no meio-campo e Walkir Cardoso era o goleiro, mas depois de levar 3 gols, pediu pra trocar de posição com o Pedrinho Moreira e assim o nosso homenageado foi jogar pela 1ª vez como goleiro.

Apesar de ter defendido muito bem, ainda continuou atuando no meio campo. E depois veio o Campeonato santareno. No jogo contra a equipe do Veterano, o goleiro Ailton não apareceu a tempo e os atletas foram unânimes para que Pedrinho Moreira fosse defender e novamente foi muito bem. No dia seguinte viu a sua foto no jornal defendendo a bola, numa jogada de gol, algo diferente veio em sua mente, achou legal e daí em diante passou a treinar como goleiro, onde recebeu todo apoio dos amigos Walkir Cardoso e Nezinho, nos treinamentos.

CAMPEÃO PELO SÃO RAIMUNDO

Depois de aparecer como goleiro do Bonsucesso, o saudoso Elpídio Moura, diretor do São Raimundo levou Pedrinho Moreira no final de 1972 para o Pantera. A consagração veio em 1974, quando ganhou o seu 1º título pelo clube. Agradece muito a torcida alvinegra, que sempre lhe incentivou, pois ainda não tinha experiência e em algumas falhas cometidas, ela tinha paciência com o jovem goleiro. Mas, suas virtudes em campo eram suas grandes defesas diante da torcida, o treinador e diretores. Ganhou prestígio e começou ser conhecido fora da cidade.

O PRIMEIRO VÔO DE SANTARÉM

Com a saída de Reginaldo da Tuna, a diretoria mandou buscar Pedrinho Moreira para preencher a lacuna do 3º goleiro, que estava aberta. Nosso atleta foi e passou no teste, fez o contrato e formou a equipe de goleiros da Luza. Edson Cimento, Ribamar e Pedrinho Moreira. Depois de alguns treinamentos a ficha caiu, ficava sozinho em um quarto, não tinha ninguém para conversar e pensava como 3º goleiro, quando iria jogar? Veio também á saudade da família, não deu para segurar e se mandou para Santarém.

CASTANHAL

Passaram-se alguns dias e Pedrinho Moreira recebeu um diretor do Castanhal, o convidando para jogar o campeonato pelo Japiim da Serra, não teve saída era um convite do treinador Huan Alvarez, já conhecia o Pedrinho desde Santarém, quando esteve aqui pelo clube de Belém. No Castanhal Jogou como titular: Pedrinho Moreira, Mesquita Cego, Jorge Corrêa, Waldemar e Pinheirão; Rayol, Gerson e Clóvis; Araia, Nelson e Teó.

 ESPORTE CLUBE SANTARÉM

Terminado a temporada, nosso goleiro voltou para Santarém e teve a bela surpresa do Antonio Cardoso, que estava montando um novo time para jogar o Campeonato Paraense. Pedrinho Moreira era o 1º da lista de contratação. Gostou e ficou para jogar e foi um marco na carreira do nosso craque. Fez um excelente campeonato e nas partidas amistosas em Santarém contra o Botafogo, Flamengo e Vasco da Gama foi uma das maiores atrações, chegou a ser cobiçado pelo treinador Vascaino.

A VOLTA PARA BELÉM

Foi para o Paysandu e logo aprovado, mas o clube alegava ao diretor do Esporte Clube Santarém, que não tinha dinheiro, queria o craque de graça, Antonio Cardoso não aceitou, pois queria valorizar o seu atleta. José Maria Cunha, treinador Dom Vital, que virou Comercial, quando soube que Pedrinho Moreira estava dando sopa em Belém, correu atrás do goleiro e o levou para brilhar mais uma vez no Paraense, com esse time: Pedrinho, Chico, Edgar, Carvalho e Lúcio Oliveira; Da Silva Canoa, Rangel e Carlitinho; Zé Lima, Fideles e Amaral. Apesar do time ter ido muito bem, não ficou mais no Campeonato e Pedrinho ficou desempregado.

VESTIBULA E CLUBE DO REMO

Um telefonema faz Pedrinho retornar as pressas a Belém, o Clube do Remo tinha um compromisso no final de semana e só tinha 2 goleiros. Nosso craque foi contratado para suprir a falta de um goleiro no clube. Chega a tempo e compõe á equipe de goleiros do Clube do Remo. E Pedrinho ficou como 3º goleiro. Dico era o 1º,  o Iane o 2º. Com um trabalho responsável de um verdadeiro profissional foi o que fez o nosso craque permanecer na equipe do Clube do Remo e conseguir a sua grande chance de ser titular, num time que tinha Dico como goleiro. Pedrinho estava feliz em Belém, por ter passado no vestibular e se doava aos treinamentos como 3º goleiro, se iria ter um chance de jogar era o que sempre aguardava, apesar de saber que seria difícil, mas naquele momento o que interessava também era concluir os seus estudos e se formar como profissional em Educação Física

O JOGO DE SUA VIDA

Foi contra o Paysandu na estréia do Dario. Dico se recuperava de uma cirurgia, Iane se machucara um dia antes do jogo. Pedrinho Moreira teria de assumir o clássico, com diretores e torcedores apreensivos, menos o treinador Paulo Amaral, que conhecia o goleiro e o próprio Pedrinho Moreira que tinha pela frente, o jogo da sua vida. Estádio lotado, maior arrecadação e o maior publico de todos os tempos: 64. 010 torcedores. Clube do Remo 1x1 Paysandu. Bira marcou para o Leão e Dario para o Papão. No final da partida Pedrinho Moreira foi escolhido como o craque do jogo, pelo que fez dentro de campo, com defesas sensacionais e pela circunstância a que estava, como titular. Mostrou eficiência e ganhou a posição do clube azulino em vários jogos. Em 1979, jogou quase todas as partidas do campeonato, só não atuou na decisão, porque Dico, o maior ídolo do Clube do Remo já estava em condições para jogar. Pedrinho Moreira se formou em 1981 e ao retornar para Santarém, ainda jogou em pelo Fluminense e São Raimundo, antes de encerar a sua carreira. Parabéns Pedrinho Moreira, pelo que você já fez e faz pelo nosso futebol e pela educação em nossa cidade.

Colaborou Raimundo Gonçalves   
É proibida a reprodução sem o nome da fonte.

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

       

___Cadê Você Belterra

Jorge Wilson Whangon Coelho é o terceiro homenageado na série dos dez melhores jogadores que o editor viu jogar no estádio Elinaldo Barbosa e Barbalhão, os dois primeiros foram Lúcio Santarém e Chico Monte Alegre
 Nome Completo: Jorge Wilson Whangon Coelho

Data de Nasicmento: 28/10/1961

Cidade Natal- Belterra - Pará

Clubes por onde Passou:

 Flamengo (PA) São Francisco(PA) Fluminense de Santarém(PA) Tuna Luso(PA) Ceará(CE) Remo(89/97) Paysandu(PA) São Raimundo(PA)
Inscrição CBF: 86887

°Belterra foi tetracampeão Santareno defendendo as Cores do São Francisco(PA) e ainda ganhou mais um torneio municipal pelo Fluminense(PA).

°O atleta é Deca Campeão Paraense. Pelo Remo ganhou nos anos de 1989, 1990, 1991, 1993, 1994, 1995, 1996 e 1997, pela Tuna Luso levantou a taça em 1988 e pelo Paysandu em 1998. Além desses títulos, ele foi campeão Cearense em 1989 pelo Ceará.

°O atleta ganhou por 6 vezes o trófeu camisa 13 de melhor zagueiro cental do campeonato Paraense. Em 1993, 1994, 1995, 1996, 1997 pelo Clube do Remo e em 1998 pelo Paysandu.

°Belterra junto com os zagueiros Abel, com o lateral Marinho e com o meio campista Mesquita foram os únicos a ganhar o campeonato paraense pelos três grandes clube do Estado (Remo, Paysandu e tuna Luso).

°Em 2001, o zagueiro amargou a penúltima colocação no segundo turno do campeonato paraense, conquistando apenas 8 pontos em 9 jogos, defendia o São Raimundo.


Colaborou Lucas Sampaio

XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja bem vindo
que você achou?
Meta o dedo
Deixe seu comentário