Postagem em destaque

Eduardo Braga é acusado de receber propina da JBS

Segundo depoimento do executivo Ricardo Saud, Eduardo Braga e mais quatro senadores receberam R$35 milhões do PT Em matéria veiculada no ...

Flash

Poderá gostar também de:

Participe

Quem achou interessante

terça-feira, maio 09, 2017

Jader desmente Jatene e os Maiorana

O processo de privatização da Companhia de Saneamento do Pará (Cosanpa), iniciado em setembro do ano passado pelo governador Simão Jatene, foi duramente criticado ontem, 8, pelo senador Jader Barbalho (PMDB) em um vídeo que circulou em suas redes sociais e também durante uma entrevista ao radialista Nonato Cavalcante, da Rádio Clube do Pará. Além de afirmar ser contra a privatização da empresa, o senador também lembrou que foi durante seu mandato como governador que fez investimentos para melhorar o abastecimento de água da capital, com o projeto Belém 2000.
 

Leia Também
Barbalho é o segundo colocado em lista de propina

Quando governador, Jader fez o maior investimento na empresa, implantou uma adutora e construiu 400km de (Foto: Ricardo Amanajás/Diário do Pará)

“Quem conhece a história do Pará sabe que fui eu, como governador do Estado, que fiz os maiores investimentos que permitem que Belém tenha água tratada”, destacou. Ele lembrou que no seu governo foi feito o sistema de tratamento e de abastecimento do Guamá, além de implantar a adutora e construir 400 quilômetros de redes de distribuição. “E é esse o sistema que permanece até hoje, porque foi bem feito, foi construído com qualidade”, disse, ao criticar a falta de investimentos dos últimos governos.

Jader Barbalho revelou que o atual governo não investiu e deixou a Cosanpa ser sucateada. As declarações foram feitas em resposta à falsa notícia de um jornal de Belém, que insiste em divulgar informações inverídicas, sobre a posição dele contra as privatizações. “Inventam que eu e o Helder queremos privatizar a Cosanpa. Mas a empresa está sendo privatizada pelo governador que aí está, e que quer vender este patrimônio fundamental para o Pará”, salientou.


CELPA

O senador lembrou que foram os governos do PSDB que privatizaram a Celpa, vendida por 450 milhões de dólares, o que representaria hoje quantia em torno de 1 bilhão e 800 milhões de reais. “E desapareceram com esse dinheiro Não aplicaram em nada em benefício da população. Eles vendem e gastam o dinheiro na corrupção eleitoral”, denunciou.

Lembrou ainda que foi durante seu governo que foram feitas as grandes melhorias no sistema de fornecimento de energia, com a construção de linhas de transmissão de Tucuruí. “Eu transformei a Celpa na maior empresa do Pará, e esses tucanos venderam e nunca se soube onde colocaram o dinheiro”, enfatizou.

“Eu fui contra a privatização da Vale do Rio Doce, que os tucanos do Brasil venderam e os tucanos daqui apoiaram. Eu era senador e fui contra. Inclusive recebi uma carta do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, quando era líder do PMDB no Senado, e um dos maiores críticos do projeto de privatização”, lembrou.

Na carta, Fernando Henrique reafirmava a intenção de vender a Vale, mas assumia o compromisso de fazer um “processo cauteloso e compartilhado com o Congresso”. A forte resistência do Senado e principalmente da bancada do PMDB, liderada por Jader Barbalho, ameaçava inviabilizar a venda da estatal.

(Luiza Mello/Diário do Pará)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja bem vindo
que você achou?
Meta o dedo
Deixe seu comentário