Postagem em destaque

Professora exigia sexo para aumentar notas de alunos. Veja o vídeo!

Uma professora casada de Medellín, Colômbia, foi presa após acusações de que transava com alunos menores de idade e, em troca, dava notas ...

Olho do Boto

Grupo do Blog

Informatica

quarta-feira, abril 12, 2017

Após ter seu nome na lista do Fachin. Arthur Virgílio anuncia aposentadoria

Arthur usou suas redes sociais para expressar sua indignação com a citação de seu nome em delações da Odebrecht e anunciar sua aposentadoria da política.
Janailton Falcão

Arthur anuncia aposentadoria da política depois de mandato como prefeito 
O prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, publicou, na madrugada desta quarta-feira (12), em sua página oficial no Facebook, um texto anunciando sua aposentadoria da política. Segundo Arthur, após concluir o mandado em 2020, não irá mais se candidatar para nenhum cargo.



“Concluirei este mandato, o derradeiro de minha vida, governando Manaus com uma dedicação extremada, que resumirá quatro décadas de amor. Até o último minuto de 2020. E, definitivamente, não me candidatarei mais a qualquer outro posto”, escreveu.

“Minha cota se esgotou. Minhas ambições estão domesticadas. Há outros meios de servir lealmente ao Amazonas, ao Brasil e a minha Manaus”, diz outro trecho do texto.

Durante o logo texto, Arthur nega que tenha recebido propina da Odebrecht. o prefeito de Manaus foi citado na delação premiada do diretor de relações institucionais da empreiteira, Cláudio Melo Filho.

“Não me afastarei jamais do estilo com que sempre me dediquei à coisa pública. Há quem prefira o papel do avestruz. Sou, porém, do tipo que não se furta aos enfrentamentos necessários à defesa de suas verdades. Por isso, defino-me, de pronto, diante da mesquinha citação de meu nome na tal lista dos “delatores premiados” da empresa Odebrecht”, escreveu.

Em mais um trecho, Arthur diz: “a relação entre ‘acusadores’ e ‘delatores’ não é suficiente para me calar nem me fazer ‘participante’ de esquemas de achaques. São 39 anos de uma trajetória que erigiu um conceito do qual muito se orgulha minha família e que não está à disposição de ninguém. Nem do ilustre procurador Rodrigo Janot e nem do ínclito juiz Sergio Moro. Menos ainda de figuras menores que se cevaram no submundo do suborno e agora pretendem obter liberdade física para voltar a usufruir de dinheiro desonesto. ”

No decorrer do texto, Arthur Neto relata que durante seu mandatos como Senador, Deputado, Ministro e prefeito de Manaus, nunca facilitou nenhuma obra da empresa Odebrecht.

“Sou prefeito da sétima maior cidade do país pela terceira vez. E a Odebrecht, ao longo desse tempo, não plantou um único metro cúbico de asfalto em Manaus. Nenhuma relação. Absolutamente nenhum liame”, destacou o prefeito.

Arthur também fala sobre a trajetória política. “Cheguei à Câmara dos Deputados para enfrentar um regime autoritário e ajudar a restaurar as liberdades neste país. E aqueles não eram tempos de imunidades parlamentares! Cheguei ao Senado para representar o Amazonas, defender o Brasil e sustentar o legado do governo Fernando Henrique: estabilidade da economia, controle da inflação, responsabilidade fiscal e reformas estruturais. Não fui em busca de foros especiais (a bem da verdade, considero uma injúria ao STF supor-se que lá não se produz justiça), porque meu mandato servia para pensar a Amazônia e o Brasil e não para acobertar o atraso e nem o saque ao nosso povo. Prosseguirei, então, na rota inversa ao oportunismo. Não disponho, como prefeito, de foro especial, privilegiado ou como bem pretendam denomina-lo. E vou continuar sem ele”, concluiu.

Mara Magalhães
EM TEMPO

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja bem vindo
que você achou?
Meta o dedo
Deixe seu comentário