Postagem em destaque

Professora exigia sexo para aumentar notas de alunos. Veja o vídeo!

Uma professora casada de Medellín, Colômbia, foi presa após acusações de que transava com alunos menores de idade e, em troca, dava notas ...

Olho do Boto

Grupo do Blog

Informatica

segunda-feira, maio 23, 2016

Trinta anos de Romero Jucá resultaram num amontoado de lambanças.

Romero Jucá viu no impeachment de Dilma Rousseff a grande chance de melar o trabalho de Sergio Moro.

Romero Jucá e a Guerra dos Trinta Anos

Por Mario Sabino

Em 2005, Romero Jucá foi exonerado do ministério da Previdência por causa de um escândalo de corrupção batizado de "Frangogate". Depois, enrolou-se na Lava Jato e na Zelotes, para não falar dos escândalos regionais dos quais é protagonista. Ainda assim, foi nomeado ministro do Planejamento por Michel Temer.
Hoje, surgiram áudios que mostram como ele viu no impeachment de Dilma Rousseff a grande chance de melar o trabalho de Sergio Moro e companhia.
Romero Jucá foi obrigado a pedir licença do ministério — apenas uma forma menos vergonhosa de ser saído.
Ele vai sobreviver politicamente?
Vai, a menos que seja condenado na Justiça.
De quem é a culpa?
A culpa é dos eleitores que votam em Romero Jucá e assemelhados.
Não é possível atenuar a responsabilidade dos cidadãos. As informações mais evidentes estão no seu próprio cotidiano, nas dificuldades que enfrentam, no que se acha ao alcance dos seus olhos.
No que Romero Jucá ajudou a melhorar a vida do povo de Roraima? Em muito pouco para quem está lá, como político, há quase três décadas. Os eleitores não percebem?
Na Europa, a Guerra dos Trinta Anos resultou na liberdade de culto para protestantes e católicos.
Em Roraima e no resto do Brasil, trinta anos de Romero Jucá resultaram num amontoado de lambanças.
A espada da democracia é o voto. Decapitem Jucá, roraimenses, e comecem a conquistar a sua própria liberdade -- e parte da nossa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja bem vindo
que você achou?
Meta o dedo
Deixe seu comentário