Postagem em destaque

Senadora Katia Abreu é expulsa do PMDB

A senadora é contrária às reformas da Previdência e trabalhista. O Conselho de Ética do PMDB decidiu expulsar da legenda nesta 5ª feira (2...

Olho do Boto

Grupo do Blog

Informatica

sábado, junho 15, 2013

Aos 66 anos morre cantor amazonense Abilio Farias

O bolero amanheceu triste neste sábado (15) com a noticia da morte do cantor Abilio Farias.

Cantor Abilio Farias (Foto: Reprodução/TVAM)

O cantor Abilio Farias morreu vítima de complicações cardíacas na noite desta sexta-feira (14), no Prontocord - Hospital do Coração, localizado na Avenida Álvaro Maia, Zona Centro-Sul de Manaus. O cantor, que tinha 66 anos, era natural de Itacoatiara, a 175 quilômetros de Manaus, e ficou conhecido no Amazonas com a música 'Ciganinha Feiticeira'.

De acordo com Joelma Farias, de 40 anos - filha do cantor - Abilio morreu por volta das 19h30. "Ele teve um infarto na segunda [10] e foi levado para o Hospital Beneficente Portuguesa, no Centro. Lá, eles fizeram um cateterismo e os médicos constataram que as artérias estavam entupidas", relatou.

Após a constatação de que as veias do cantor estavam entupidas, ele foi transferido para o Prontocord para que fosse implantada uma ponte de safena. Depois da cirurgia, que aconteceu na terça-feira (11), ele se recuperava no hospital, mas acabou tendo falência dos rins nesta sexta.

Segundo Joelma, em 2010, o pai já havia se submetido ao primeiro cateterismo. Na ocasião, ele recebeu um equipamento utilizado para alargar as artérias.

Velório

O velório e o enterro do cantor vão acontecer neste sábado (15). O corpo será velado na Funerária São Francisco, localizada ao lado do Terminal de Ônibus da Cachoeirinha (T2). O enterro vai acontecer no Cemitério São João Batista.


Durante o velório, será cantada a música 'Luzes da Ribalda', de Charles Chaplin. Segundos os familiares, a canção foi escolhida por Abilio para ser interpretada pelo amigo coronel Martins no dia de seu velório. "Eles firmaram um acordo: quem morresse primeiro receberia a homenagem do outro", disse Joelma.

O secretário de Segurança Pública (SSP), coronel Paulo Roberto Vital, que era amigo de Abilio, disse que esteve pela última vez com o cantor no dia do infarto. "Ele esteve lá na secretraria [SSP] me visitando, porque éramos muito próximos. Somos conterrâneos e eu o conhecia há 60 anos", contou.

Entre as lembranças que Joelma guarda do pai está um disco com o Hino do Clube do coração de Abílio, o Nacional-AM, e uma frase célebre. "Quando eu era criança, meu pai me deu um vinil azul com o hino e eu ouvi o dia inteiro, mas o mais marcante é uma frase que ele sempre dizia: Escorregar não é cair!", relembrou.
Abilio Farias faleceu na noite desta sexta-feira (14), enquanto se recuperava de uma cirurgia cardiovascular (Foto: Marcos Dantas/G1 AM)

Carreira

José Abilio de Moura Farias tinha mais de 50 anos de carreira. Nos anos 1970, chegou a ser o 'cantor mascarado' do Programa do Chacrinha. Afixionado por esportes, torcia para o Flamengo do Rio de Janeiro e para o Nacional do Amazonas.

Segundo a filha Joelma, Abilio foi dependente químico por 30 anos, mas há cinco, havia abandonado o vício por "força de vontade".

Ele fazia aniversário no dia 23 de fevereiro, mesma data do ex-senador e ex-governador do Amazonas, Gilberto Mestrinho, do qual era amigo. De acordo com Joelma, no dia do aniversário, eles ligavam para parabenizar um ao outro.

O cantor era viúvo e deixou quatro filhos, todos criados no ambiente musical. O último show dele aconteceu em Humaitá, a 675 quilômetros de Manaus. O último álbum do cantor foi um especial com músicas de Waldick Soriano. Ele também se preparava para uma turnê pelo Nordeste do país no segundo semestre deste ano.

Um comentário:

  1. SAUDADES VAM FICAR MAIS FOI MUITO IMPORTANTE TER CONHECIDO UMA PESSOA COMO ELE NA NOSSAS VIDAS.

    ResponderExcluir

Seja bem vindo
que você achou?
Meta o dedo
Deixe seu comentário